Search
Close this search box.

Desafios do last mile: como superá-los e encantar o cliente

Conheça algumas estratégias para superar os desafios do last mile e oferecer uma experiência encantadora aos clientes.     Não é surpresa que o universo da logística apresenta diferentes desafios para gestores e, com o constante crescimento do comércio eletrônico e das vendas omnichannel, um desses obstáculos podem aparecer durante o last mile, ou seja, a etapa final da cadeia de suprimentos, na qual os produtos são entregues diretamente ao consumidor.   Durante essa etapa, tudo está em jogo, e a habilidade de antecipar e superar gargalos ao longo do processo pode ser fator determinante para a qualidade do serviço, a fidelização do cliente e, especialmente, para a reputação da

Last mile: o que será tendência em 2021

  A pandemia da Covid-19 acelerou um processo que já vinha se intensificando: o crescimento do comércio eletrônico e do omnichannel.  Muitas empresas que precisaram migrar para o e-commerce não têm mais a intenção de retornar ao seu status quo.   Do mesmo modo, boa parte dos consumidores que experimentaram a compra on-line pretendem manter o hábito.  Isso significa que o last mile, ou entrega de última milha, se tornará cada vez mais relevante, um divisor de águas entre as empresas de sucesso e as demais. O cliente de hoje quer receber o produto que comprou o mais rápido possível. Além disso, ele também quer ter visibilidade do seu pedido,

Como os micro-fulfillment centers mudarão a logística do varejo?

Entenda como os micro-fulfillment centers funcionam e porque são vistos como a grande tendência para o futuro do varejo   O setor de logística, especialmente do varejo, tem passado por uma enorme disrupção. Com a digitalização, a alta competitividade do mercado e o crescimento do omnichannel, não dá mais para sobreviver apenas com o tradicional brick-and-mortar. É preciso inovar para atender às demandas de um cliente que espera flexibilidade na sua compra, personalização no atendimento e agilidade nas entregas.   Os grandes players do mercado já perceberam isso há um tempo e vêm inovando ano após ano para oferecer aos seus consumidores uma experiência de compra incomparável. Eles não pouparam

D2C: o que é, vantagens e como estruturar a logística para esse novo modelo de negócios

O e-commerce é um canal democrático que abriu espaço não apenas ao varejo. Com o avanço das plataformas de venda on-line e a crescente adesão a esse novo tipo de consumo, as indústrias perceberam que ali haveria uma oportunidade interessante de oferecer seus produtos diretamente ao consumidor final, sem a necessidade de um revendedor ou distribuidor. Esse tipo de venda, chamado de D2C (Direct-to-Consumer  ou DCT), está se tornando mais forte a cada dia.   Empresas como a Nike, Nestlé e Grupo Unilever, assim como gigantes da tecnologia, já estão presentes no canal eletrônico e vislumbram um grande crescimento. De acordo com um estudo realizado pela Salesforce em 2019, 99%

OMS (Order Managment System): o que é e porque é imprescindível para atender ao novo padrão de consumo

O mercado de consumo não é mais o mesmo. Os hábitos de compra mudaram, assim como a expectativa dos clientes. Com a ascensão do omnichannel, o consumidor tem uma série de facilidades para fazer uma compra. Mas ele não deseja apenas ter a flexibilidade de transitar entre os vários canais de venda. Ele quer ter o mesmo padrão de atendimento em todos eles, ou seja, quer ter uma experiência de compra positiva e unificada.   Isso exige das empresas uma nova postura. Não dá mais para manter uma gestão de pedido descentralizada, abrindo brechas para que as informações se percam durante a jornada de compra. Se um cliente comprou on-line

E-commerce: aumento de reclamações mostra que é hora de priorizar a logística

A pandemia da Covid-19 provocou uma reviravolta no mundo dos negócios, acelerando significativamente a transformação digital das empresas. Quem já trabalhava com venda física e o e-commerce, passou a investir mais na venda on-line, e aqueles que ainda não tinham presença no comércio eletrônico precisaram agir rapidamente para se adequar à nova realidade. Os resultados dessa mudança podem ser vistos em números: de acordo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCCom), entre o fim de março, quando as medidas de isolamento social começaram a ser tomadas, e o fim de abril, cerca de 100 mil sites de vendas foram criados.   Outra pesquisa, realizada pela Mercado Livre, aponta que, no

Estratégias de last mile durante a pandemia da Covid-19 e outras interrupções na logística

Confira dicas para avaliar o seu negócio e medidas que podem ser utilizadas para aprimorar o last mile   Em matéria publicada no Portal Inbound Logistics, a especialista em Supply Chain Deanna Kaufman chama a atenção para a resiliência das empresas de logística que continuam em trabalho intenso para que não faltem os insumos à população. Segundo Kaufman, essas companhias e as transportadoras têm mantido a economia global em atividade, entretanto, na sua visão, elas podem sofrer uma pressão extrema.   Diante disso, é feito o questionamento: como uma interrupção como a pandemia da Covid-19 afetará o last mile e como os varejistas podem ajustar suas estratégias?   Para responder