Por que a logística colaborativa está ganhando força?

Entenda os motivos que tornam a logística colaborativa cada vez mais relevante no mercado atual e conheça os benefícios para maior eficiência operacional.

 

logistica-colaborativaA logística colaborativa não é uma grande novidade no mundo dos negócios, mas nos últimos anos, sua importância tem crescido e vem revolucionando a forma como as empresas conduzem suas operações.

 

Um exemplo claro dessa transformação está no transporte de mercadorias, especialmente na colaboração entre armazéns e empresas de frotas externas. Em um cenário onde a eficiência é fator decisivo na performance e lucratividade e os custos podem ser um desafio, encontrar soluções inovadoras se tornou prioridade.

 

Em vez de lidar com o gerenciamento de uma frota própria, a logística colaborativa permite estratégias onde o armazém aproveita a experiência e a eficiência de empresas de frotas terceirizadas. Trabalhando em conjunto, eles otimizam rotas, reduzem custos operacionais e asseguram entregas rápidas e eficazes.

 

Mas não para por aí: a logística colaborativa vai além do transporte e pode ser aplicada em diversos setores, possibilitando parcerias inteligentes e promissoras para os negócios dos armazéns.

 

Neste artigo, vamos compartilhar mais sobre a logística colaborativa e como as empresas podem alcançar níveis de excelência, eficácia e sucesso, sem a necessidade de investir exclusivamente em infraestrutura própria.

 

 

O que é logística colaborativa?

 

A logística colaborativa é muito mais do que uma simples parceria entre empresas. Podemos dizer que é uma estratégia inteligente onde diferentes agentes de uma cadeia de suprimentos, como fornecedores, distribuidores, prestadores de serviços e até mesmo os próprios clientes, se unem a fim de otimizar processos e reduzir custos operacionais.

 

Na prática, a logística colaborativa é uma grande cooperação entre as diferentes empresas do mercado que, em vez de operarem de forma isolada, acabam compartilhando informações estratégicas sobre o mercado, as demandas dos clientes e as melhores práticas do setor logístico.

 

Tudo isso resulta em uma cadeia de abastecimento mais eficiente, capaz de oferecer um atendimento mais ágil e personalizado, além de garantir uma utilização mais eficaz dos recursos disponíveis.

 

Um bom exemplo da logística colaborativa pode ser observado no setor de varejo, onde várias empresas se unem para compartilhar centros de distribuição e consolidar cargas, reduzindo assim os custos de transporte e aumentando a eficiência das entregas.

 

No setor de alimentos, por sua vez, agricultores, produtores e distribuidores colaboram para planejar melhor as safras e evitar o desperdício de alimentos, ao mesmo tempo em que garantem a qualidade dos produtos, por exemplo.

 

A logística colaborativa é capaz de fortalecer empresas e contribuir para o desenvolvimento sustentável e a competitividade do mercado.

 

 

Aplicações da logística colaborativa

 

A logística colaborativa pode ser aplicada na prática em diversos  setores e cenários, como:

 

 

1. Gerenciamento de estoque

 

O gerenciamento de estoque é a coluna dorsal de uma empresa e, quando aplicada a estratégia da logística colaborativa, empresas podem trabalhar em conjunto para otimizar o uso de recursos e reduzir custos.

 

Em vez de cada uma das empresas manterem seu próprio estoque separado, elas podem colaborar compartilhando informações sobre demanda, estoque disponível e previsões de vendas, melhorando a sincronização da cadeia de suprimentos e uma utilização mais eficaz dos recursos disponíveis.

 

Na prática acontece dessa forma: suponha que a empresa A tenha uma demanda maior por acessórios do que pela empresa B, enquanto a empresa B tem uma demanda maior por eletrônicos. Com base nessa informação, as empresas podem ajustar seus níveis de estoque e realizar pedidos em conjunto com os fornecedores, aproveitando volumes de compra maiores para obter melhores preços. Outra vantagem é a colaboração na gestão de devoluções e na redistribuição de produtos entre si, evitando estoques excessivos ou faltas de produtos.

 

 

2. Contratação de transportes 

 

Duas empresas que atuam geograficamente perto podem explorar a logística colaborativa como uma estratégia eficiente na gestão de transporte e distribuição. Nesse modelo, as companhias compartilham informações sobre suas programações de entrega, horários e capacidade disponível em suas frotas.

 

Com base nessas informações, as empresas compartilham suas operações de transporte, colaborando na definição de rotas e na consolidação de cargas. Isso resulta na redução do número de veículos nas estradas e na otimização dos recursos disponíveis.

 

Outra opção é utilizar serviços de transportadores e motoristas terceirizados para atender às necessidades de transporte, oferecendo flexibilidade e reduzindo os custos fixos associados à manutenção de uma frota própria. Um bom exemplo desse modelo é o iFood, que opera um serviço de entrega para diversas empresas, proporcionando acesso a uma rede de entregadores sem a necessidade de contratar colaboradores exclusivos.

 

3. Armazenamento e cross docking

 

Outra alternativa da logística colaborativa pode ser vista no processo de armazenamento e cross docking. Imagine um consórcio de empresas de varejo que operam em uma mesma região. Elas têm a oportunidade de compartilhar um centro de distribuição que funciona como um hub central, onde as mercadorias são recebidas, consolidadas e encaminhadas para os destinos finais de forma rápida e eficiente.

 

Essa estratégia possibilita a redução significativa dos custos de armazenamento, ao mesmo tempo em que diminui os tempos de espera. Como resultado, as empresas são capazes de responder de forma mais ágil às demandas dos clientes, enquanto minimizam os níveis de estoque e garantem uma operação mais enxuta e eficaz.

 

 4. Gestão de operadores logísticos

 

Para além do compartilhamento de espaços de armazenagem e galpões, visando a redução de custos logísticos e a otimização do espaço nos centros de distribuição, muitas empresas estão adotando a prática de compartilhar operadores logísticos.

 

Essa estratégia possibilita a divisão dos custos relacionados à mão de obra, além de ajudar a evitar problemas como a ociosidade das equipes durante períodos de baixa demanda. Com isso, os recursos disponíveis são utilizados de maneira mais eficiente, proporcionando benefícios significativos para todas as partes envolvidas.

 

5. Logística reversa

 

A logística colaborativa pode também atuar de forma inteligente no processo da logística reversa, uma vez que uma transportadora, durante o trajeto de entrega dos pedidos, também realiza a coleta dos materiais devolvidos no caminho de volta.

 

Essa estratégia garante que a empresa contratante do serviço de transporte tenha uma redução de despesas significativa e a transportadora evite a ociosidade do veículo, que, de outra forma, retornaria à base vazia.

 

 

Vantagens da logística colaborativa

 

Agora que já sabemos o que é uma logística colaborativa e como é sua aplicação prática no mercado e em diferentes nichos, é hora de explorar suas vantagens.

 

A adoção de estratégias colaborativas ao longo da cadeia de suprimentos oferece uma série de benefícios significativos para as empresas, desde a redução de custos e a otimização de recursos até a melhoria do atendimento ao cliente e o impulso à sustentabilidade ambiental.  Na verdade, as vantagens da logística colaborativa são diversas e impactantes e, entre as principais, podemos citar:

 

Redução de custos operacionais


Ao utilizar estratégias da logística colaborativa para compartilhar recursos como transporte, armazenamento e mão de obra com parceiros ao longo da cadeia de suprimentos, as empresas podem cortar custos fixos e variáveis.

 

Essa economia recursos pode então ser direcionada para áreas estratégicas que impulsionam a visibilidade e a lucratividade da empresa, como investimentos em marketing e publicidade para expandir a presença da marca, desenvolvimento de novos produtos e serviços inovadores para atrair mais clientes, e aprimoramento da experiência do cliente para aumentar a fidelidade e retenção.

 

 

Otimização de recursos

 

O compartilhamento de rotas e veículos, espaços de armazenamento e centros de distribuição, assim como o gerenciamento de equipes e sistemas, permitem uma utilização mais eficiente dos recursos disponíveis.

 

Essa otimização de recursos é capaz de reduzir os custos operacionais, como vimos acima, e também melhorar a eficiência operacional, flexibilidade e a sustentabilidade das operações.

 

 

Mais flexibilidade e respostas de demanda

 

Ao compartilhar recursos operacionais, as empresas ganham maior autonomia para atender às flutuações na demanda do mercado. Por exemplo, se uma empresa enfrenta um aumento repentino na demanda por seus produtos, ela pode facilmente aumentar a capacidade de transporte e armazenamento compartilhando recursos com parceiros colaborativos, em vez de depender apenas de seus próprios recursos limitados. O mesmo acontece no cenário inverso, caso a demanda diminua, as empresas podem reduzir rapidamente seus custos operacionais compartilhando recursos de forma mais eficiente.

 

Atender às necessidades dos clientes de forma ágil e flexível garantem que  as empresas aumentem os níveis de satisfação do cliente e construam uma reputação de confiabilidade e excelência no serviço.

 

 

Atendimento ao cliente aprimorado

 

Os clientes estão cada dia mais exigentes e, além de produtos de qualidade, buscam também por uma experiência de compra satisfatória. Dessa forma, empresas que oferecem um atendimento ao cliente excepcional têm mais chances de conquistar a lealdade e ganhar recomendações positivas.

 

Nesse cenário, a capacidade rápida e flexível de resposta ofertada pela logística colaborativa assegura que as empresas atendam às necessidades dos clientes de forma ágil e eficiente, oferecendo soluções personalizadas e adaptadas às suas preferências.

 

 

Sustentabilidade ambiental

 

Hoje, a preocupação com a sustentabilidade ambiental é um fator determinante na tomada de decisão de consumidores, e a logística colaborativa pode auxiliar bastante as empresas nesse quesito, pois ajuda na busca por práticas mais sustentáveis.

 

Ao otimizar rotas de transporte, compartilhar espaços de armazenamento, reduzir viagens desnecessárias e adotar estratégias como o uso compartilhado de recursos e a reciclagem de materiais, as empresas conseguem diminuir o impacto ambiental de suas operações logísticas.

 

 

WMS e OMS na logística colaborativa

 

Agora que sabemos mais sobre as vantagens da logística colaborativa, vale a pena destacar como os recursos tecnológicos podem auxiliar na sua aplicação e aprimorar os resultados.

 

O sistema WMS, por exemplo, pode otimizar o espaço de armazenamento e compartilhar estoques entre parceiros colaborativos, garantindo uma utilização mais eficiente dos recursos disponíveis. Com funcionalidades e recursos avançados de controle de inventário, o sistema WMS amplia a visibilidade dos itens em estoque, facilitando o compartilhamento de informações e a colaboração na gestão de inventário.

 

Por outro lado, o sistema OMS pode facilitar o processamento eficiente de pedidos compartilhados entre empresas parceiras e seus canais de venda, proporcionando uma experiência de compra consistente e integrada para os clientes.

 

Sistemas de gerenciamento WMS e OMS podem se tornar peças-chave na prática da logística colaborativa, permitindo que as empresas compartilhem recursos, informações e processos de maneira eficiente e integrada.

 

Se você deseja impulsionar sua estratégia de logística colaborativa, entre em contato com a Delage para descobrir nossas soluções avançadas de WMS e OMS. Agende uma demonstração com nossa equipe.