8 coisas que você precisa saber sobre a automação goods-to-person - Delage

8 coisas que você precisa saber sobre a automação goods-to-person

 Entenda como funciona a automação goods-to-person, conheça suas vantagens e descubra como implantá-la de forma eficaz

 

 

Com o comportamento de consumo em evolução e empresas cada vez mais competitivas no mercado, surge uma nova preocupação: o tempo de entrega e a velocidade dos processos. A demanda criada principalmente pelo comércio eletrônico vem se mostrando decisiva na hora da compra do consumidor final. Isso faz com que gestores logísticos busquem por novas tecnologias e alternativas que reduzam o tempo de separação e preparo de pedido, além de alternativas que promovam a velocidade da entrega para garantir a satisfação do cliente.

 

Algumas empresas já começaram a implementar o goods-to-person (GTP), ou seja, “produto à pessoa” em tradução livre. O sistema nada mais é que uma série de tecnologias automatizadas que entregam o produto de um determinado pedido para o operador em sua estação de trabalho, ou seja, diretamente no picking, excluindo todo o processo manual de coleta no estoque.

 

Diferente da metodologia tradicional, onde a cada pedido pessoas são direcionadas ao estoque para encontrar os produtos e separá-los, no modelo goods-to-person essa função é atribuída aos robôs, que identificam os itens no estoque e os encaminham a uma estação de trabalho fixa, ou seja, o funcionário é dispensado de percorrer longas distâncias ou ficar indo e vindo a determinados endereços para coletar as mercadorias. As automações goods-to-person incluem  os sistemas AS/RS (Automatic Storage and Retrieval Systems) e os AMRs (Autonomous Mobile Robots). Cada modalidade tem suas particularidades e benefícios associados.  

 

Para se ter uma ideia da grande vantagem que essas automações oferecem, estima-se que, no picking manual, 70% do tempo é gasto com o deslocamento. E, quanto mais tempo, mais custos envolvidos, certo? Com a tecnologia goods-to-person, esse tempo é eliminado e a produtividade pode aumentar dez vezes. Além de elevar a performance, a solução evita erros e perdas ocasionadas pelo manuseio excessivo de mercadorias, duas situações que também geram despesas. Com todos esses ganhos, as empresas passam a reunir condições ideais para oferecer ao mercado um serviço de qualidade e, principalmente, com a velocidade que o cliente final espera. Confira no tópico seguinte, o detalhamento dos principais benefícios gerados:

 

 

Principais benefícios da automação goods-to-person

 

O sistema de automação goods-to-person vem ganhando a preferência de grandes empresas e não é à toa: esse modelo de gestão de pedidos traz consigo uma série de benefícios como:

 

 

Redução de tempo e maior produtividade

 

 

Como dissemos, na metodologia tradicional um operador leva em média 70% do tempo total do preparo de um pedido para procurar e separar a mercadoria no estoque. Por outro lado, na automação goods-to-person o produto sai diretamente do estoque para a área de picking, evitando assim a movimentação dos colaboradores. Esse simples fato reduz o tempo de execução dos pedidos e, consequentemente, acelera o despacho da mercadoria para o consumidor final.

 

 

 Redução de erros nos pedidos

 

A tecnologia goods-to-person possui sistemas de dupla confirmação, evitando que os pedidos sejam enviados de forma errada ao consumidor final, assim o próprio sistema faz a conferência do pedido e, caso necessário, os operadores podem, ao receber os itens, realizar uma segunda confirmação dos detalhes do pedido. Esse processo garante menor número de erros nas entregas e reduz consideravelmente o volume de devoluções.

 

 

Mais qualidade de trabalho

 

Mais um ponto positivo sobre a tecnologia goods-to-person é promover a melhor ergonomia dos colaboradores, uma vez que dispensa e elimina a quantidade de alongamentos, caminhadas, alcance, elevações e torções que as idas e vindas ao estoque geram, reduzindo as taxas de acidentes de trabalho.

 

 

Redução de espaço

 

A grande maioria da tecnologia goods-to-person utiliza o sistema de mercadorias na vertical, eliminando o espaço horizontal do seu armazém, podendo economizar entre 60% a 90% da área de piso.

 

 

Realize uma implementação bem sucedida do goods-to-person

 

São muitos os benefícios ao implementar o sistema de automação goods-to-person em seu armazém, mas é preciso ter atenção a alguns pontos na hora de operar essa metodologia de trabalho. Por esse motivo, separamos tudo o que você precisa saber para ter uma cadeia de suprimentos bem-sucedida e aproveitar todas as vantagens do goods-to-person.

 

 

1. Analise seus processos atuais

 

Antes de contratar um sistema de automação goods-to-person, faça o levantamento do processo atual do seu armazém. Realize uma análise detalhada de todos os procedimentos como: dados do estoque, quantidade dos pedidos diários, tempo de execução de cada pedido, quantidade de colaboradores envolvidos por pedido, unidades por pedido, períodos de sazonalidade, taxa de erros por pedidos, entre outras particularidades do processo.

 

Em seguida, levante junto a equipe quais as melhorias desejadas e as metas a serem alcançadas na otimização dos processos. Lembre-se que a escolha do melhor sistema GTP depende do modelo do fluxo de trabalho atual e de onde você, como gestor, deseja chegar com os resultados. Portanto, tenha o máximo de dados nas mãos na hora de comparar os sistemas disponíveis no mercado.

 

 

2. Fique atento ao funcionamento do sistema

 

Antes de contratar um sistema goods-to-person, assegure-se que ele tenha um plano de funcionamento claro e preciso. Toda tecnologia está eventualmente sujeita a algum problema, portanto, entenda a taxa de falha do produto, certifique-se do tempo de manutenção,  assegure que existam formas off-line de trabalho (caso o sistema pare) para não comprometer o fluxo de trabalho, além do suporte rápido com a empresa parceira.

 

Lembre-se de que os pedidos continuam mesmo que o sistema pare e é preciso ter planos para evitar que as engrenagens do armazém sejam impactadas.

3. Esteja preparado para picos de venda

 

Além das informações gerais sobre o fluxo de trabalho do armazém mencionados anteriormente, levante hipóteses na hora de investir na automação goods-to-person. O sistema estará preparado para picos de vendas? Como ele responderia às vendas sazonais? Acompanharia o ritmo de entrega? Garanta que o sistema GTP te dê maior autonomia de gerenciamento sobre os níveis de estoque.

 

 

4. Considere o espaço disponível

 

O sistema de automação GTP funciona, em geral, de forma vertical, o que proporciona economia e redução de piso. Verifique o seu espaço atual e como  goods-to-person será implementado na estrutura já existente. Avalie também os benefícios que seu armazém ganharia ao mudar sua estrutura para o modelo vertical.

 

Uma das maiores vantagens da estrutura de armazém vertical é a economia de espaço. Com isso, é possível instalar a sua operação em áreas urbanas, próximo ao consumidor final, otimizando não só o tempo de envio, como gastos em transportes e fretes.

 

 

 5. Verifique a verba para o investimento

 

Implementar um sistema de automação pode representar um investimento alto para a empresa. Dessa forma, certifique-se que o orçamento foi feito de forma correta, apresente relatórios e cálculos sobre o retorno do investimento a curto, médio e longo prazo aos seus superiores, mostre as vantagens do sistema GTP e, principalmente, apresente cases de sucesso e comparativos com o mercado.

 

 

6. Converse com sua equipe

 

Antes de implementar o sistema GTP, converse com sua equipe. É comum que seus colaboradores se sintam desvalorizados com a substituição da metodologia de separação de pedidos e, apesar da crença de que não se precisa de operação manual em armazéns automatizados, ainda serão necessários os trabalhos da equipe para diferentes áreas.

 

Mostre ao seu time as vantagens de ter um sistema automatizado, a qualidade de trabalho que ele proporciona, maior velocidade nos processos e maior lucratividade para empresa. Dessa forma, todos serão recompensados futuramente.

 

 

7. Realize treinamentos

 

Uma vez contratado o serviço, atualize sua equipe sobre o funcionamento do sistema GTP: quais treinamentos podem auxiliar na compreensão do novo modelo de fluxo de trabalho? Será necessário promover seus colaboradores e criar uma nova categoria para manutenção e controle do software? Será necessário ter uma equipe para lidar em momentos de falhas no sistema? Certifique-se que todos seus funcionários sejam informados e treinados da melhor forma.

 

 

8. Tenha entendimento completo da automação goods-to-person

 

Por fim, assegure que você, gestor, tenha compreendido 100% sobre o funcionamento do sistema e como ele impacta no funcionamento do armazém. Mensure os resultados frequentemente, acompanhe as metas iniciais, avalie a performance da sua equipe, observe a redução do tempo, o aumento na produtividade e a velocidade de entrega. Lembre-se: o acompanhamento do desempenho é crucial para alcançar efetivamente os objetivos traçados!

 

>> Neste artigo você entendeu mais sobre o sistema de automação goods-to-person, as vantagens que ele traz para seu armazém e como implementar de forma eficaz em sua empresa. O uso das tecnologias reduzem o impacto econômico em sua cadeia de suprimentos e contribuem para a satisfação do seu cliente. Para conhecer sistemas de gerenciamento que trabalham integrados a automações, deixando seu armazém mais eficiente, econômico e seguro, entre em contato conosco e converse com um de nossos especialistas.



Deixe um comentário