ESG na logística: sua empresa com um diferencial competitivo

Quando as práticas ESG são implementadas corretamente na logística, sua empresa passa a se destacar e atrair mais clientes e investidores

 

Você conhece o termo ESG?

 

ESG é a sigla utilizada para “Environmental, Social and Governance” (Ambiental, Social e Governança) e relaciona-se às práticas das empresas nessas três áreas. Pode parecer algo antigo, contudo, nos últimos anos, o ESG ganhou uma força e importância enormes, uma vez que os três aspectos passaram a ser priorizados pelos investidores.

 

Mas, na verdade, implementar o ESG vai muito além de atrair investimentos. A linha tênue entre fazer o bem e o que é lucrativo está diminuindo rapidamente e se você deseja que o seu negócio seja eficiente, transparente, econômico e motivador para os funcionários, não pode mais adiar a aplicação do ESG em sua empresa.

 

Muito se fala sobre a aplicação do ESG no contexto da operação como um todo. Mas e no caso específico da logística? Como tornar efetivo o desempenho nas áreas ambientais, sociais e de governança? E sobre isso que vamos tratar neste texto. Antes de adentramos especificamente no tópico ESG na logística, trazemos uma contextualização para que você compreenda melhor o conceito e sua aplicabilidade.

 

Valorização crescente do ESG

 

Conforme destacamos no início deste texto, empresas que aplicam o ESG têm sido cada vez mais valorizadas interna (entre os funcionários) e externamente (investidores e mercado consumidor). Na verdade, cada um dos três termos do ESG (Environmental, Social and Governance) tem uma representação importante para o seu negócio, conforme detalhamos a seguir

 

Environmental (E)

 

O meio ambiente talvez seja uma das preocupações mais importantes do século 21. Assim, dentro do conceito de “Environmental”, está a forma como a empresa se posiciona perante a preservação do meio, como ela lida com o movimento sustentável, se tem iniciativas dedicadas às preocupações com a emissão de carbono, recursos renováveis e energias alternativas, ou seja, se gerencia seu impacto ambiental e pensa nas consequências de longo alcance na sociedade e no planeta.

 

Social (S)

 

Representa o relacionamento corporativo com o social e humano, não só com os colaboradores, mas com a comunidade que está ao seu redor, além da adoção de políticas públicas, valorização da inclusão, diversidade e equidade.

 

Corporate Governance (G)

 

“G” pode ser dividido em duas partes: a primeira é relacionada garantir transparência ética e responsabilidade das empresas. A segunda está relacionada ao sistema interno de controles, práticas e procedimentos para governar e tomar decisões eficazes.

 

Quem já aplica todos esses conceitos no seu negócio está um passo à frente. De acordo com a pesquisa “2020-2021 Survey Report – Board governance during the Covid-19 crisis, da Global Network of Directors Institutes (GNDI)” o ESG é visto pelos executivos como a questão de maior impacto para a estratégia das empresas pós-pandemia. A maioria destaca a sustentabilidade e a responsabilidade social como assunto prioritário.

 

Recentemente, a Unilever publicou um estudo que identificou que em cada 3 clientes, pelo menos 1, opta por comprar de marcas que tenham impacto social ou ambiental.  Ou seja, cada vez mais as pessoas estão atentas não somente ao seu produto ou a qualidade da entrega, mas como sua empresa está inserida no meio que a envolve. E os ganhos da aplicação do ESG não param por aí.

 

Benefícios do ESG

De acordo com uma pesquisa feita pela Rede Brasil do Pacto Global e pela Stilingue, as empresas brasileiras estão atuando com vários tópicos e indicadores do ESG, sendo que 79% delas têm focado na criação de mecanismos de compliance e transparência; 76% na gestão de resíduos, reciclagem e reaproveitamento; 68% na criação de comitês e órgãos de governança, buscando a integridade da organização; e 60% no apoio às comunidades no entorno. Além de manter-se competitivo, aderir às práticas ESG trazem benefícios como:

 

– Conquista da confiança de clientes que, cada vez mais, valorizam uma empresa social e ambientalmente responsável;

 

– Redução de custos, com o melhor uso dos recursos, eliminação de desperdícios e utilização de energias renováveis;

 

– Redução do turnover, manutenção de talentos e fortalecimento das relações com os parceiros de negócio;

 

– Otimização da gestão, ao priorizar a transparência de dados e implementar políticas de compliance.

 

Vale acrescentar que a preocupação com aspectos ESG pode levar ao apoio governamental, subsídios, superação da pressão regulatória crescente e melhores relações com os investidores.

 

 

Por que é importante aplicar o ESG na logística?

 

Já mostramos que os ganhos gerados ao negócio como um todo são bons motivos para a implantação da cultura ESG em todas as áreas da empresa, incluindo a logística. Ou seja, se você deseja que o seu negócio seja bem visto e se torne eficiente, econômico, motivador para os funcionários e transparente, é hora de aplicar o ESG na sua cadeia de suprimentos.

 

Ter uma cadeia de suprimentos alinhada ao ESG significa buscar formas de diminuir o consumo de recursos, o desperdício de insumos e resíduos gerados, além de promover a transparência tanto nas operações quanto no relacionamento com os fornecedores.

Para tanto, é preciso, inicialmente, que a cultura ESG seja introduzida e assimilada por todos os gestores, colaboradores e parceiros (nesse último caso, recomenda-se a inclusão, em contrato, de cláusulas que reforçam esses valores). Em seguida, deve-se elaborar um planejamento que contemple mudanças essenciais na cadeia que reforcem os valores ambientais, sociais e de governança. O foco principal deve ser:

 

  • Buscar uma cadeia mais sustentável, com o melhor uso dos recursos e redução dos desperdícios (leia sobre o green warehouse);

 

  • Atentar-se às relações pessoais, ou seja, cuidar bem dos seus recursos humanos. garantir a satisfação do cliente e um bom relacionamento com os parceiros e comunidade do entorno;

 

  • Garantir uma gestão transparente, íntegra e honesta.

 

Para atender a esses aspectos, é importante que uma grande equipe esteja envolvida em operar as mudanças necessárias e lidar com questões como:

 

– Como é feita a gestão dos resíduos?

– Como a empresa busca reduzir o consumo de papel, energia e outros recursos?

– Como a empresa se compromete com a redução da emissão de poluentes?

– Há uma priorização do uso de energias renováveis?

– Como é realizada a logística reversa dos produtos?

– Qual a taxa de turnover?

– Quais os benefícios oferecidos pela empresa aos funcionários? Como a empresa os valoriza e os integra?

– Os funcionários possuem as melhores condições de trabalho?

– Existe um programa de treinamento e capacitação dos colaboradores?

– Existe uma política clara de defesa dos direitos humanos?

– Como é o relacionamento com o cliente? A empesa segue as normas da LGPD? A empresa possui mecanismos para medir a sua satisfação?

– Como é o relacionamento com os fornecedores? Eles estão cientes dos valores da empresa e se alinham aos mesmos?

– A empresa tem transparência em seus dados financeiros e contábeis?

– A gestão é honesta, equilibrada e busca atender os interesses de todas as partes envolvidas?

– A empresa possui uma política de compliance?

– Há uma gestão de riscos?

 

Além disso, é preciso que a empresa invista em ferramentas que possam ajudá-la na execução de seu plano e, em se tratando da logística, o sistema WMS está entre as soluções fundamentais.

 

Como o WMS pode ajudar no ESG?

 

wms

É natural que, com o crescimento do negócio, as empresas foquem mais nas vendas do que na logística. Mas isso não significa que seja o caminho correto. Pelo contrário. Ao deixar a logística em segundo plano, você pode fazer mau uso do espaço, ter perdas e desperdícios de diversas ordens, oferecer condições de trabalho inadequadas e ter informações divergentes ou ambíguas. Ou seja, tanto a sustentabilidade, quanto o social e a governança podem ser impactados.

 

Por isso, é importante entender que a evolução da empresa requer também uma evolução da logística. Quando o negócio cresce, a capacidade muda e o desafio central não se limita a ter funcionários eficientes e motivados ou instalações adequadas. É fundamental aplicar soluções tecnológicas para que as complexidades sejam sanadas e haja uma boa gestão.

 

E é aí que o sistema WMS aparece como um grande aliado, pois o software traz ganhos em várias áreas, sendo que muitas delas impactam na cultura ESG da empresa. Com a automação oferecida pelo WMS, você substitui processos lentos e ineficazes por processos otimizados e ágeis. Seus recursos (pessoas, equipamentos e área) passam ser melhor aproveitados. Além disso, um benefício fundamental oferecido pelo software está na centralização e confiabilidade dos dados.

 

Basicamente, com o WMS há uma redução drástica do uso do papel, do desperdício de materiais e de perdas de produtos. O sistema digitaliza os processos, eliminando listas em papel e planilhas, auxilia na otimização do uso de embalagens, além de controlar todas as informações e movimentações de mercadorias, evitando avarias. O software também visa reduzir os trajetos dos funcionários, trazendo mais eficiência aos processos, e guia-lhes na execução de suas tarefas, proporcionando uma melhor estrutura de trabalho. O WMS  objetiva, ainda, o melhor uso dos equipamentos e área, trazendo economias de diversas ordens.

 

Outra vantagem é a rastreabilidade oferecida e a atualização instantânea de informações, as quais passam a ser mais transparentes e confiáveis. Com o WMS, os gestores têm acesso aos dados em tempo real e, através da integração com outros sistemas, como o ERP, todas as informações ficam unificadas, com acesso por todas as áreas, incluindo Financeiro, Contábil, Compras, Vendas e Logística.

 

Em suma, o WMS vem para tornar a operação mais econômica (faz-se mais com menos), organizada (100% de controle e rastreabilidade) e eficiente (melhor uso dos recursos e melhores condições de trabalho para os colaboradores). É por isso que as empresas que já aplicam os conceitos ESG em seus negócios contam com um bom WMS em suas operações.

 

Por onde começar? 

 

Agora que você já conhece o ESG, seus benefícios e como aplicá-lo na logística, é hora de colocar a mão na massa! Compartilhe esse texto com seus colegas de trabalho para conscientizá-los da importância do ESG e dê início às reuniões para discutir formas de implantá-lo em seu armazém. E se precisar de uma orientação sobre a automação dos processos, entre em contato com nossa equipe de consultores! Podemos orientá-lo sobre as melhores soluções para o seu contexto e como tornar a sua operação mais econômica, eficiente e sustentável!

 

 

 

 

 

 

 

 



Deixe um comentário