Qual a diferença entre WMS, WCS e WES, e qual é o ideal para seu armazém? - Delage

Qual a diferença entre WMS, WCS e WES, e qual é o ideal para seu armazém?

Conheça as particularidades dos sistemas WMS, WCS e WES, suas aplicações práticas e integrações

 

 

O seu armazém está preparado para acompanhar as alterações de padrão de consumo, lidando com um consumidor cada vez mais exigente? Muitos gestores tendem a dizer que sim, pensando apenas na otimização da última milha. Contudo,  é fundamental olhar a operação como um todo, afinal, estamos falando de um fluxo contínuo, ou seja, se uma etapa não vai bem, ela pode afetar todas as outras. Por isso, um importante passo é investir em softwares de gestão para ter uma operação organizada, eficiente e com dados confiáveis. Para que você conheça a fundo as tecnologias existentes, neste artigo apresentamos as principais diferenças entre os sistemas WMS, WCS e WES, suas funções e possibilidades de integração.

 

Desafios do cenário atual

 

wms wcs wesA demanda e evolução de vendas das empresas são determinadas diretamente pelo consumidor. Com a mudança de comportamento na hora da compra, refletindo em um consumo multicanal, os gestores precisam se adaptar constantemente para atender as necessidades dos consumidores, que possuem cada dia mais preferências e buscam por um atendimento de qualidade e velocidade na entrega dos seus pedidos.

 

Esse cenário viabilizou a abertura de novos canais de vendas e a expansão dos estoques, alterando em alguns casos a velocidade, tamanho da equipe,  maquinário e complexidade de logística nos fluxos dos armazéns. Para deixar os processos fluidos e cada vez mais integrados, apostar em novas tecnologias é o caminho mais rápido e eficaz para gerar bons resultados, aumentar a competitividade no mercado, economizar recursos e atender a demanda de forma eficiente. Conhecer as necessidades e escolher um sistema adequado para a operação do seu armazém é fundamental para uma boa gestão em seu centro de distribuição.

 

Nesse contexto, uma dúvida frequente é: qual solução utilizar? Em quais situações uma ou outra é mais indicada? Nos tópicos seguintes você vai  conhecer os sistemas WMS, WCS e WES, entender as suas diferenças, descobrir os benefícios para a logística da sua empresa e em que tipo de operação são mais indicados. Confira:

 

 

WMS


O WMS (Warehouse Management System), é um software de gerenciamento focado na gestão do estoque, no controle operacional e automação dos processos , visando aumentar a eficiência e garantir o melhor uso dos recursos de um centro de distribuição (pessoas, equipamentos e área). Uma de suas principais funções é a troca de informações em tempo real com o sistema geral de uma empresa, proporcionando controle, confiabilidade dos dados e gestão dos ativos do seu armazém.

 

Imagine o seguinte cenário: um comércio eletrônico, especializado em materiais de escritório, pouco antes da pandemia, iniciou suas vendas on-line com um número limitado de produtos em seu estoque. Com o novo cenário de consumo, pessoas em isolamento social e trabalho remoto, essa empresa precisou aumentar a quantidade de ativo e também a variedade de produtos para atender a nova demanda que surgia no mercado. Durante esse processo, sua equipe, infraestrutura e máquinas aumentaram exponencialmente, fazendo com que sua organização e planejamento logístico descobrissem formas de otimizar tempo e recursos financeiros para continuar o crescimento durante o período.

 

O exemplo anterior é realidade em muitas empresas.  Devido ao novo formato de consumo, foi preciso descobrir formas de melhorar o gerenciamento do CD. Uma das ferramentas mais buscadas pelo setor logístico para melhorar a gestão e automatizar os processos do armazém foi o WMS. Entre suas funções e benefícios estão:

 

– Controle operacional, que permite visualizar, a partir de um histórico de informações, a movimentação de cada produto e também de cada colaborador.

 

– Segurança e rastreabilidade do estoque. O acompanhamento em tempo real permite que gestores visualizem todo o fluxo do armazém, dessa forma, caso aconteça um problema, o sistema é capaz de identificar a falha, assim como em qual fase do processo ela ocorreu.

 

– Melhor aproveitamento do espaço, recomendando o posicionamento ideal para cada produto no estoque, organizando endereços, lotes, identificação, peso, tamanho, cor, entre outras características específicas do produto, permitindo fácil localização, otimização do processo e, consequentemente, melhorando o fluxo do picking.

 

– Redução da movimentações dos colaboradores e máquinas. O sistema traça as melhores rotas para o fluxo, economizando tempo e adaptando trajetos para a gestão de trabalho da operação, desde a doca até a expedição.

 

– Alto nível de acuracidade do estoque. O sistema WMS padroniza as informações, dispensando o uso de anotações e registros em papéis e de forma manual, elementos que prejudicam o fluxo trazendo perdas e danos ao estoque.

 

As várias funcionalidades oferecidas pelo WMS proporcionam uma elevação significativa na produtividade, aliada à redução de erros e retrabalhos. Também, como citado anteriormente, com o sistema, as empresas conseguem aumentar a sua acuracidade e ter controle total de fluxos de acordo com os critérios e regras do armazém. É importante lembrar que antes do WMS ser implementado, é feita uma análise funcional junto à logística a fim de parametrizar o sistema  de acordo com cada etapa do processo do centro de distribuição.

 

 

WCS

 

Se, por um lado, o WMS permite a automatização dos processos do armazém, por outro, temos o WCS (Warehouse Control System), solução de controle integrada em tempo real que gerencia o fluxo de itens, caixas e paletes à medida que transitam pelos vários tipos de equipamentos automatizados, como transportadores, classificadores, sistemas de picking, etc. Em outros termos, podemos dizer que WCS foi projetado para controlar qualquer automação utilizada no armazém. O WCS cria uma ponte, sincronizando as informações entre o sistema WMS, que seria “coração da operação”, e as automações e fornecendo uma camada adicional de controles e funcionalidades.

 

Devido às suas características específicas, o WCS, funcionando integrado ao WMS, é concebido como ferramenta crucial em armazéns que possuem qualquer tipo de automação. Assim, é válido ressaltar que a decisão de implantação do WCS depende de uma escolha anterior, que é referente ao uso de uma automação no armazém. Se uma operação vai utilizar qualquer sistema automático, ela necessariamente precisará de um WCS.

 

Em relação aos benefícios proporcionados, ressaltamos que automações, por si só, são responsáveis por aumentar em grande medida a produtividade e precisão dos processos em um armazém. E o WCS vem para determinar o fluxo mais eficiente e transmitir comandos aos controladores do equipamento para atingir o resultado desejado. Além disso, como o WCS oferece os dados em tempo real de todos as automações conectadas, caso haja qualquer problema, o software imediatamente sinaliza, oferecendo aos usuários um comando para corrigir o desvio.

 

 

WES

 

O WES (Warehouse Execution System), por sua vez, pode ser considerado a próxima geração do WCS. O software fornece as mesmas funcionalidades que o WCS, mas se baseia nelas para oferecer um nível mais alto de gerenciamento de armazém. Em outras palavras, podemos definir o WES como um WCS com algumas operações básicas de WMS. Isso significa que, assim como o WCS, o WES só é viável quando a empresa possui alguma automação em seu armazém.

 

Em termos de funcionalidades, o WES inclui todos os recursos de controle de máquina do WCS, adicionando recursos de gerenciamento de trabalho e gerenciamento de pedidos. Com isso, obtém-se uma abordagem mais holística da operação.

 

Grandes empresas, líderes em vendas on-line, operam hoje com o WES (Warehouse Execution System) em seus centros de distribuição e fulfillments. Como elas utilizam automações altamente modernas e robustas e movimentam diariamente uma grande volume de produtos e pedidos, é necessário contarem com um software especializado e mais sofisticado como o WES, substituindo o WCS.

 

O WES vem, portanto, para dar um importante suporte em uma execução de processos automáticos mais eficiente, garantindo uma rapidez de entrega, dinâmica de execução e atendimento aos pedidos, dentro dos níveis de exigência dos clientes.

 

WMS x WCS

 

Conforme a explicação anterior, é possível perceber diferenças substanciais entre o WMS e WCS. O WMS tem como missões a gestão do estoque, a rastreabilidade das movimentações, a administração das tarefas, organização do endereçamento, dentre outras funcionalidades que visam garantir velocidade e assertividade nos processos e uma supervisão apurada da operação. Já o WCS trabalha voltado exclusivamente no controle das automações. Importante destacar também os WCSs fazem interface com os WMSs e estes, por sua vez, se integram aos ERPs. E, quando falamos em inventário de estoque, geração de tarefas, administração do espaço de armazenagem, gestão de mão de obra, e gerenciamento do carregamento e expedição, estamos nos referindo a funções desempenhas apenas pelo WMS.

 

 

WES x WCS

 

Embora o WES tenha como objetivo complementar o WMS, ele deve substituir o WCS. Isso ocorre porque o WES simplesmente faz o trabalho do WCS melhor, adicionado funcionalidades de gerenciamento de mão de obra e gerenciamento de pedidos.

 

 

É possível utilizar apenas o WES, dispensando o WMS?

 

Costumamos dizer que o WES é versão leve de um WMS com funcionalidade de controle. O recomendado é que se utilize o WES somente para iniciar uma operação com automação até que se implante o WMS ou para sites muito específicos, que só operem a automação, sem os demais processos além do fulfillment e que não demandem todos os recursos adicionais que o WMS possui.

 

Isso porque, além de oferecer uma gama maior de funcionalidades, o WMS garante mais liberdade quando se trata de integração com diferentes provedores de automação. Muitos WCSs e WESs de fabricantes de automação em geral só podem ser integrados aos equipamentos dos seus próprios fabricantes.

 

Vale lembrar que um WES não inclui funcionalidades mais apuradas do WMS como a integração da cadeia de suprimentos, integração com ERP (a maioria não integra*),  relatórios de gestão, gestão de transporte, armazenamento reverso, geração de tarefas e acompanhamento da sua execução em tempo real, gestão de mão de obra padrão multivariada e Slotting.

 

 

 

 

 

Prepare-se para os novos desafios da Logística

 

Acompanhar o ritmo de crescimento do mercado, assim como os novos hábitos de consumo, depende de um bom planejamento logístico. Administrar armazéns grandes que trabalham com alta demanda, entender a complexidade do estoque, controlar perdas e danos, executar a gestão de recursos de pessoas, espaços e equipamentos e manter a produtividade satisfatória são os grandes desafios dos centros de distribuição das empresas.

 

Portanto, entender as tecnologias disponíveis no mercado, como os softwares WMS, WCS e WES, possibilita encontrar novas oportunidades, expandir seu mercado e tornar-se referência em seu segmento.

 

A Delage possuiu um conjunto de softwares capazes de otimizar o processo de seu armazém, tornando sua operação mais eficiente e econômica. Para conhecer nossas tecnologias e descobrir formas de melhorar os resultados de sua empresa, clique aqui. O sucesso dos nossos parceiros é nosso propósito!



Deixe um comentário