Logística Lean em Centros de Distribuição: entrevista com o autor Alexandre Cardoso

Cardoso fala com a Delage sobre a metodologia lean, sua aplicação na logística e seus benefícios 

 

Nos dias atuais, ser lean é uma tendência e uma necessidade em toda empresa, em qualquer setor. Isso porque quando aplicado corretamente, o sistema garante a otimização dos processos, melhor uso dos recursos, potencialização dos resultados e muito mais. Em um centro de distribuição, a filosofia lean atua na busca pela redução de desperdícios. Seu conceito é simples: desperdício é tudo aquilo que consome recursos, mas não agrega valor ao cliente.

 

logística leanPara detalhar essa abordagem, sua aplicação e benefícios, conversamos com Alexandre Cardoso, presidente da To Be Lean, especialista em Lean Thinking com mais de 25 anos de vivência prática em gestão de projetos de implementação da metodologia lean em grandes empresas dos setores de alimentos, químico, automotivo, metalúrgico, consumo e de serviços.

 

Alexandre também é o autor do livro Logística Lean em Centros de Distribuição: melhorando a entrega e a produtividade, obra extremamente didática que traz uma aplicação prática dos conceitos lean em um armazém.

 

Confira a entrevista a seguir:

 

 

Delage: Como você ingressou no mundo da logística?

 

Alexandre: Meu envolvimento com logística já tem mais de 20 anos. Dentro da minha função de Consultor em Lean, eu vinha aplicando os conceitos lean no abastecimento de materiais nas linhas de produção de indústrias metalúrgicas, alimentícia, tintas e automotivas, mas era limitado a essa área de abastecimento. Até que surgiu o desafio de aplicar os conceitos lean em um centro de distribuição de uma empresa, onde não havia o processo produtivo, mas sim os processos logísticos de recebimento, armazenagem, separação e expedição de produtos.

 

 

D.: Como nasceu a ideia de escrever um livro voltado especificamente para a aplicação dos conceitos lean em centros de distribuição?

 

A.: Na empresa em que atuei, percebemos que a logística era muito carente de conhecimento em técnicas de melhoria contínua. Então, decidimos escrever o livro “Logística Lean em Centros de Distribuição”, com uma linguagem simples e que permitisse as pessoas aplicarem os conceitos lean em suas operações, até sem a ajuda de um consultor.

 

 

D.: O que significa o termo “lean“?

 

Lean é um conceito que surgiu na Toyota do Japão na década de 40. Com o nome de Toyota Production System, esta mentalidade se popularizou na década de noventa com o lançamento do livro “A máquina que mudou o mundo”, escrito por James Womack. No livro, ele interpretou esse conceito como uma mentalidade focada em agregar valor para o cliente através da eliminação de desperdícios. A partir daí, Womack definiu 5 princípios:

 

  • Valor do ponto de vista do cliente;
  • Fluxo de Valor que leva valor para este cliente;
  • Fluxo Contínuo, ou seja, produzir de forma linear, um a um, sem acumular estoque entre as operações;
  • Sistema puxado, também conhecido como kanban, onde o processo fornecedor só produz quando é demandado pelo processo cliente;
  • A busca pela Perfeição, fazer melhor todos os dias, também conhecido como kaizen.

 

 

D.: Como o lean transformou sua carreira?

 

A.: Aprendi este conceito em 1992, quando era engenheiro de uma empresa. De lá para cá minha carreira mudou muito: saí da empresa em 2000 e comecei a trabalhar como consultor, um desafio grande, pois cada dia estava em uma empresa diferente, o que exige uma capacidade de adaptação enorme, mas eu me realizei e estou muito feliz. Agora tenho minha empresa de consultoria onde transmito o meu conhecimento e transformamos a vidas das pessoas, tornando-as mais produtivas e felizes. Esse é o propósito central da empresa.

 

 

D.: Como iniciar a aplicação do conceito lean na Logística?

 

A.: Para iniciar o processo de transformação, é importante que o gestor escolha um problema específico, por exemplo, a demora na descarga de produtos, baixa produtividade na separação, etc. Em seguida, deve fazer o mapeamento do fluxo logístico envolvido, coletando tempos e identificando os desperdícios. Depois, deve aplicar os conceitos de fluxo contínuo, sistema puxado e kaizen para melhorar esses processos. O livro apresenta esse guia de maneira mais detalhada.

 

 

D.: Quais os principais pontos que o gestor deve se atentar?

 

A.: O principal ponto é envolver as pessoas e dar condições para que as mudanças sejam realizadas rapidamente. O gestor deve também prover conhecimento para as pessoas. Nosso canal no YouTube tem palestras gratuitas sobre o conceito.

 

 

D.: Quais os benefícios dessa implantação?

 

A.: Os benefícios são enormes: ganhos de produtividade de mais de 35%, redução de tempo de descarga de até 75%, entre outros. Como exemplo, compartilho alguns resultados concretos que nossos clientes já alcançaram:

 

EmpresaIndicadorAntesDepoisGanho
Cliente 1Produtividade215 v/h/h292 v/h/h35%
Cliente 1Lead time de armaz.6 horas3 horas50%
Cliente 1Disp. de posições de separação21%33%57%
Cliente 2Lead time de armaz.18 horas4 horas77%
Cliente 3Produtividade40 v/h/h60 v/h/h50%
Cliente 4Produtividade90 v/h/h150 v/h/h66%

 

 

D.: Quais os maiores desafios ao aplicar o lean em um CD?

 

A.: Os maiores desafios são: a mudança da mentalidade das pessoas, o modelo mental da gerência, pois os gerentes passam a apoiar de maneira mais intensa a operação, ter disciplina para seguir os padrões e superar os obstáculos que aparecem durante a implementação.

 

 

D.: O lean pode ser implementado em qualquer empresa, independentemente do tamanho e segmento?

 

A.: Sim! Já implementamos em pequenas empresas, médias e grandes empresas. Todos os segmentos precisam melhorar, e hoje já aplicamos lean até em hospitais e fazendas.

 

Sobre o livro Logística Lean em Centros de Distribuição

 

livro logistica leanO livro Logística Lean em Centros de Distribuição mostra para o leitor um caso hipotético de implementação da logística lean em um CD da empresa Alpha, uma fabricante de peças para sistemas de refrigeração. A empresa busca a implantação dessa filosofia quando percebe que está preste a perder o seu maior cliente por conta de falhas e atrasos nas entregas dos produtos. José, personagem central e gerente da planta, começa liderando uma transformação lean por completo: passando pela separação dos pedidos, pelas entregas (outbound) e pelo abastecimento (inbound).

 

Com a história da empresa Alpha, o livro mostra como aplicar conceitos lean na prática no ambiente de um CD. Dividido em seis partes, a história traz definições de diversas ferramentas que auxiliam a empresa ao dar seu salto em termos de lean.

 

* Agradecemos ao Alexandre por nos conceder esta entrevista e por dividir conosco sua experiência e conhecimento.



Deixe uma resposta